in , ,

Conheça Kynnie, a nova promessa da música LGBTI+ que mistura pop de R&B, jazz e blues

música LGBTI+

Potência, representatividade, força e paixão descrevem a personalidade do trabalho da nova aposta da música LGBTI+. Com 27 anos, Kynnie chega com um vozerão entoando um mix pop de R&B, jazz e blues, acompanhando de letras autorais. Nascida em uma família de músicos, ela começou a cantar ainda no colo do seu pai.

Quando pequena, entrava em uma caixa de papelão para poder sentir a acústica. Na adolescência participou de concursos e desde então não parou mais, aprendendo a tocar violão, bateria e demonstrando facilidade em tocar qualquer instrumento. Suas influências são um mix pop de R&B, blues, jazz e soul. Entre suas bandeiras estão assuntos como racismo, diversidade, empoderamento feminino e causas LGBTQIA+.

 

O primeiro single da cantora, “Simples Assim”, foi inspirado em uma de suas paixões e já está dispoinível nesta sexta (28) pela Som Livre em todas as plataformas de música – ouça aqui.

“Simples Assim” representa o marco de sua carreira profissional e faz parte de uma trilogia de singles, a serem lançados nos próximos meses. Kynnie se encontra em êxtase com a estreia: “Eu nem acredito que finalmente vou colocar meu primeiro som no mundo. Algo que tem a minha cara e que, com certeza, daqui há 5 anos, vou olhar para trás e me orgulhar de ter feito, sabe? Música para mim, é algo atemporal”, conta.

A composição da faixa, em parceria com os Dogz (Pablo Bispo, Ruxell e Sérgio Santos), é feita de experiências vividas pela cantora e apresenta um pouco sobre sua essência. “Precisava de algo que me fizesse lembrar de que: tudo bem, passei por isso, mas superei e agora não estou mais na sua mão, sabe? Que eu fui em frente. Que rolou amor, paixão, mas o meu amor próprio vem em primeiro lugar”, declara Kynnie.

 

Carregado de empoderamento, o clipe dirigido por Helder Fruteira, apresenta uma visão conceitual da artista Kynnie para ao mundo. A equipe de produção foi majoritariamente formada por profissionais negros, a pedido da cantora, reforçando uma de suas bandeiras representativas.

Temáticas como racismo, diversidade, empoderamento feminino e causas LGBTQIA+ também serão abordados no seu trabalho: “Podem esperar uma transformação literal de grandeza e potência. Não quero deixar de ser quem eu sou, mas vou mostrar o porquê apostaram em mim para chegar até aqui. Nossa sociedade precisa muito que os negros venham, que a gente possa chegar. Que possamos mostrar que somos capazes. Essa é a minha função nesse momento. Mesmo com tantos “nãos” da vida eu estou aqui”, conclui.

 

Sobre a produção do clipe, Kynnie conta que seu único pedido foi que a equipe fosse negra. “Não adianta militar na internet e ao vivo não dar trabalho real pro nosso povo. Temos que fazer jus em todos os lugares. E tivemos a maioria da equipe que estava trabalhando comigo no clipe, negra. Todos nós tivemos uma conexão. Todo mundo ali já havia passado por alguma situação em comum. Então, não precisávamos de muitas palavras. Às vezes, olhares, comemorações, gestos, eram o suficiente para reunir força e continuar gravando take por take”.

A história do clipe é simples, mas traz a Kynnie que todo mundo quer conhecer. “Tinha muita força. História, ancestralidade, raiz, empatia, paixão, reconhecimento. Eu me via na minha equipe. Eles se viam em mim. Não era uma história escrita sozinha e sim, conjunta. É essa potência que quero trazer”, finaliza.

 

Assista o clipe de “Simples Assim”:

Fórum de Turismo LGBT Top

Escrito por alexbernardes