in ,

Diversidade e Inclusão na agenda das organizações: a importância da estruturação do processo

diversidade e inclusão
Fairmont
O tema Diversidade e Inclusão tem ganhado espaço e cada vez mais faz parte da agenda das organizações. Muitas empresas estão reforçando o seu compromisso com essa questão e colocando em prática ações e políticas que impulsionem a diversidade.

Contudo, para obter sucesso é importante investir na estruturação do processo, começando com um diagnóstico aprofundado com a alta liderança e colaboradores(as), um censo de diversidade e inclusão para tirar uma “fotografia” da diversidade da empresa e entender como as pessoas se sentem, e por fim realizar um planejamento estratégico com definição de KPIs (Key Performance Indicator) e as ações efetivas para alcançar os objetivos.

Os KPIs são indicadores-chave de desempenho e já são utilizados na gestão de diversas áreas corporativas a fim de medir, de forma assertiva, o sucesso de um determinado processo, garantindo que os objetivos sejam alcançados. Como diz Peter Drucker, o pai da administração moderna: “o que pode ser medido pode ser melhorado”. Por isto é tão importante ter métricas para avaliar a evolução das políticas de diversidade em uma empresa.

VILA GALÉ RIO – LGBT
VILA GALÉ SP – LGBT
Engana-se quem acredita que apenas algumas ações pontuais voltadas para a diversidade vão resolver esta questão nas empresas, é necessário trabalhar os dois eixos em paralelo: metas para trazer pessoas diversas e transformar a cultura da empresa num ambiente mais inclusivo e que gera oportunidades para todas as pessoas.

O censo de diversidade é necessário para compreensão das pessoas da empresa, além de gerar informações importantes sobre como as pessoas se sentem em relação a valorização e pertencimento. Todos os dados do censo de D&I em paralelo ao diagnóstico aprofundado, apoiam a empresa a entender o cenário atual e traçar planos e metas estratégicas para transformá-lo.

Quando a organização investe em diversidade e a inclusão, as pessoas se sentem mais respeitadas e engajadas, criando um círculo de confiança, vestindo a camisa e ainda ajudando a transmitir a cultura da empresa.

É fundamental que toda a liderança da empresa esteja engajada desde o início neste processo e participe de todos os passos, desde o planejamento, execução e treinamentos, tendo em mente que é por meio do exemplo da liderança que essa cultura inclusiva se dissemina na empresa.

As grandes corporações já estão avançando nessas mudanças, seguindo práticas para aumentar a diversidade, bem como realmente incluir mais pessoas diversas. É importante entender que diversidade & inclusão é uma jornada, um caminho de transformação cultural de longo prazo e que, para colher resultados positivos, o quanto antes for iniciado, mais rápido os frutos serão colhidos, o que vai garantir a sustentabilidade da empresa.

A jornada é longa, no entanto o mais importante é que traz muitos ganhos positivos para a corporação e para a sociedade. Sua empresa está preparada para esta transformação?
Por: Cris Kerr
Cris Kerr é CEO da CKZ Diversidade, consultoria especializada com 12 anos de atuação em Inclusão & Diversidade, professora da Fundação Dom Cabral, Mestra em Sustentabilidade pela FGV e idealizadora do 10º Super Fórum Diversidade & Inclusão, evento que apoia as corporações a construírem ambientes mais diversos e inclusivos, tornando-as mais inovadoras e sustentáveis.

GUIA LGBT RECIFE

Escrito por alexbernardes