in ,

Entidades e ativistas LGBTI+ cobram promessa do Governo de SP sobre Museu da Diversidade

WhatsApp Image 2021 08 24 at 10.03.20 e1631127781223
Fairmont

A Associação da Parada do Orgulho LGBTI+, #movimentoartigoquinto, a Aliança LGBTI+, as Mães pela Diversidade, Organizações e Coletivos em defesa dos direitos humanos convocam a população para um ato público em defesa da permanência do Museu da Diversidade no Palacete Franco de Mello, conforme havia sido prometido pelo Governo do Estado de São Paulo em 2014.

A ação será realizada no dia 29 de agosto, as 14h, em frente do Palacete Franco de Mello, na na Paulista n° 1919, em São Paulo.

+ Encontro entre ativistas LGBTQIA+ de seis países cria Museu Lusófono de Diversidade Sexual

VILA GALÉ RIO – LGBT
VILA GALÉ SP – LGBT

+ Museu da Diversidade Sexual terá programação especial para o Dia da Visibilidade Trans

+ Museu da Diversidade Sexual tem programação virtual com muitas atividades em março

A vereadora Erika Hilton também está se mobilizando para que o pleito seja atendido pelo atual governador João Dória.

Mar Ipanema Gif

“Em 2014, o então governador, Geraldo Alckmin (PSDB), destinou o palacete Franco de Mello, localizado no número 1.919 da avenida Paulista, para ser a nova sede do museu. A ideia é que o endereço acolha a parte administrativa, o acervo permanente e exposições temporárias, mantendo também a sala de exposição do metrô República, que é um lugar de grande circulação e acesso fácil e democrático para os visitantes das diferentes regiões da cidade.” Erika Hilton na Folha de São Paulo.

Apesar da Av. Paulista ser palco da maior Parada do Orgulho LGBT do mundo, e o melhor local para fincar o museu da Diversidade Sexual de São Paulo,  o atual governo de São Paulo decidiu abrigar no palacete Franco Mello o Museu de Gastronomia.

De acordo com o coletivo organizador do ato, um Museu de Gastronomia é importante, mas existem muitos outros locais que podem abrigar o Museu e causar um grande impacto positivo em uma região, como o entorno do Mercadão Municipal de São Paulo, por exemplo.

Os organizadores do ato ainda ressaltam que com o governo de extrema-direita de Bolsonaro, o maior alvo de censura dos últimos anos recaiu sobre obras e artistas LGBTI+ e inaugurar o novo espaço do Museu no coração da capital ganha ares de uma resistência necessária e urgente para chegarmos a uma sociedade plural, igualitária, tolerante, progressista e democrática.

MS

Escrito por alexbernardes