in ,

Prefeitura de Maringá apaga postagem e revolta comunidade LGBT da cidade

maringa lgbt

Para celebrar o dia do Orgulho LGBT, no último  28 de Junho, a Prefeitura Municipal da cidade de Maringa-PR, postou em suas redes sociais, uma imagem da Catedral Brasílica Nossa Senhora da Glória, iluminada com as cores do arco-íris, símbolo da causa LGBT.

O post com a foto da catedral iluminada contia a legenda: “ Um registro para lembrar que a beleza do mundo está na diversidade e cor. Uma excelente semana para todos nós, se cuidem e cuidem de quem vocês amam”.

Mas, o caso ganhou repercussão após a postagem ter sido apagada sem nenhuma justificativa. Membros da comunidade LGBT+ local acreditam que o motivo pode ter sido pressão popular. Mesmo sem ter nenhum conteúdo ofensivo, a postagem recebeu comentários negativos de alguns cidadãos mais conservadores.

+Congresso Nacional é iluminado com as cores da bandeira LGBT+

+Campanha “Meu Destino é Brasil” ganha reforço do Turismo LGBT+

+Aerolíneas Argentinas firma compromisso com a comunidade LGBT+

Em um dos comentários que foi possível ser printado antes de ser apagado, um morador escreveu:  “ A prefeitura de Maringá toma o principal símbolo religioso da cidade e o relaciona com o Orgulho LGBT(etc). É um desrespeito a fé de milhares de católicos que vivem na cidade e que sabem quando a ideologia de gênero despreza a religião católica e seus valores. Apesar da sutileza e da tentativa de passar desaparecido, o desrespeito é mesmo”.

A5489DCA 6EDE 4245 9EC6 E53378DA292F

A sexóloga Eliane Maio, uma das principais lideranças da comunidade LGBTQIA+ da cidade lembrou em seu perfil no Instagram que o Brasil é o país onde mais se mata LGBT no mundo.

 

Em outro post, o morador Rômulo Fratini celebrou o ato simbólico, mas cobrou das autoridades uma resposta do motivo por terem apagado o post.

“ Sei que para muitas pessoas é só uma foto e cores, mas para mim é um orgulho ver a cidade onde nasci e escolhi para morar apoiar a causa, só que no exato momento em que apagaram eu tive vergonha da Prefeitura de Maringá.”

View this post on Instagram

Já que a @prefeiturademaringa apagou eu publico no meu perfil, depois de vários comentados de ódio a publicação foi apagada e vi algumas pessoas comentando que foi usado um símbolo religioso para iluminar com as cores da bandeira LGBTQIA+ e que isso é falta de respeito. Aos que pensam assim sinto muito, eu me afastei da igreja por conta de pessoas que estão sempre lá rezando e depois praticam tudo ao contrário nas ruas, para mim Deus é amor e me acompanha em todos os lugares por onde passo e se o Deus de vocês não é amor não sei de que Deus vocês estão falando e pregando, pq para mim essa foto é incrível e maravilhosa onde juntaram uma construção incrível de Maringá com luzes coloridas que representa uma causa incrível de amor ? Sei que para muitas pessoas é só uma foto e cores mas para mim é um orgulho ver a cidade onde nasci e escolhi em morar apoiar uma causa, só que no exato momento em que apagaram tive vergonha da @prefeiturademaringa e de quem faz a parte de marketing do Instagram, se a cada dia que eu recebe-se um comentário homofóbico eu apagasse quem eu sou não tinha mais nada de mim. Então @prefeiturademaringa e prefeito @ulissesmaia gostaria muito que voltassem essa foto no perfil de vocês e mostrassem que não tem medo em apoiar uma causa tão linda de amor onde a maioria da população que mora em Maringá é ou apoia a causa LGBTQIA+ #maringa #maringahistorica #maringaexplorer #explorandomaringá #maringa

A post shared by R Ô M U L O F R A T I N I (@rvfratini) on

Letícia Galdino, agente de viagem e membro da comunidade LGBT+ de Maringá, acredita ser muito prejudicial que um órgão público ceda a pressão preconceituosa.

“Em pleno século XXI, é inadmissível que um ato legítimo seja apagado dessa forma. Absurdo maior, é um órgão público ceder à questionamentos preconceituosos, e retirar a postagem, levando em consideração que a cidade é composta por um público LGBTQIA+, expressivo. Falta respeito, sobra preconceito”.

Procurada oficialmente pela Associação Maringaense LGBT (AMLGBT), a prefeitura de Maringá ainda não se manifestou sobre o assunto. Em exclusiva para a ViaG, Margot Jung, presidente  da AMLGBT acredita que a intenção da prefeitura tenha sido positiva, mas que errou ao apagar o post. Margot explicou que a iluminação com as cores do arco-íris havia sido feita na semana da Páscoa, mas a imagem foi reutilizada para homenagear o Dia do Orgulho LGBT.

“Acredito que a prefeitura tenha sido bem intencionada com a postagem, mas não aceitamos que ela apague o post sem nenhuma justificativa, deixando parecer que cedeu a pressão de preconceituosos. Apesar de ser uma Catedral, o prédio é um símbolo do município assim como o Masp é um símbolo de São Paulo, o Big Ben é símbolo de Londres e a Torre Eiffel é símbolo de Paris. Não há nada de ofensivo em usar uma imagem do prédio iluminado  com as cores de uma causa tão importante. Quem é cristão de verdade não aceita preconceito”, finalizou ela.

Essa não é a primeira vez que a Catedral da cidade é motivo de polêmica. Em 2012 um poster criado para promover a Parada do Orgulho LGBT de 2012 causou um grande conflito. Na época, a comunidade LGBT local rebateu com um outro cartaz em que mostrava a Catedral tinha sido usado para fazer propaganda de cerveja.

 

maringá

Fórum de Turismo LGBT Top

Escrito por alexbernardes