in

Onde ser gay é melhor na Europa

Diogo de SáPor:  Diogo de Sá

Pensando em dar um giro pela Europa ou mesmo estudar ou morar no Velho Continente? Saiba quais os países mais gay friendly da região antes de fazer as malas.

A diversidade histórica, cultural, social e econômica da Europa também se manifesta em relação aos direitos alcançados pelos gays no espaço onde vivem 731 milhões de pessoas, ou cerca de 11% da população mundial.
Se ao visitar países como a Rússia, onde o turista deve estar alerta ao entrar ou sair de locais gays, já que agressões homofóbicas são constantes; em outros, como a Dinamarca, o casamento gay é realidade desde 1989.

No último 17 de maio, durante fórum para celebrar o Dia Internacional contra a Homofobia e Transfobia (discriminação relativa às pessoas transexuais e transgêneros) e Bifobia, A ILGA (Associação Gay, Bissexual e Transgênero) Europa apresentou o Mapa arco-íris do continente, que revela o nível de equidade entre gays e héteros no que se refere a direitos.

O ranking tenta medir como as ações dos governos impactam na vida dos gays levando em conta direitos civis e de família, se há discursos contrários aos gays proferidos por líderes políticos, liberdade de expressão gay, entre outros. As cores de cada país indicam uma escala de 0% (altíssimo grau de violência) a 100% (igualdade total entre homos e héteros).

mapa

Se o lugar da Rússia entre as últimas posições do ranking não causa surpresa, a ascensão de Malta, um país pequenininho embaixo da bota do mapa da Itália, ao terceiro posto (oito a mais do que em 2014), é animadora.
O resultado, diz a pesquisa, foi porque o país avançou bastante nas leis de igualdade em 12 meses (veja aqui os avanços). Que tal apoiar o lindíssimo país e considerá-lo como um dos seus destinos europeus?

15% da economia de malta vem do Turismo. Que tal entrar na estatística?
15% da economia de malta vem do Turismo. Que tal entrar na estatística?

Ps.: apesar de tantas diferenças de igualdade entre os países, vale lembrar que A Europa foi pioneira em diversas conquistas gays. A Suécia foi o primeiro país a legalizar a homossexualidade, em 1944; a Noruega o primeiro a pôr em prática leis anti-discriminação de cunho especificamente sexual, em 1981; e os Países Baixos têm a população mais tolerante no que diz respeito à homossexualidade do mundo, para citar algumas conquistas.

Veja o ranking completo de equidade gay na Europa:

1.Reino Unido 86%
2. Bélgica 83%
3. Malta 79%
4. Suécia 72%
5. Croácia 71%
6-8. Espanha, Países Baixos, Noruega 69%
9. Dinamarca 68%
10. Portugal 67%
11. França 65%
12. Islândia 63%
13. Finlândia 62%
14. Alemanha 56%
15. Áustria 52%
16. Hungria 50%
17. Montenegro 46%
18. Luxemburgo 43%
19. Albânia 42%
20. Irlanda 40%
21. Grécia 39%
22. Geórgia 36%
23. República Checa 35%
24. Estônia 34%
25. Eslovênia 32%
26. Andorra 31%
27-29. Eslováquia, Sérvia, Bósnia y Herzegovina 29%
30-31. Romênia, Suíça 28%
32. Bulgária 27%
33. Polônia 26%
34. Itália 22%
35-36. Liechtenstein, Lituânia, 19%
37-39. Letônia,  Kosovo, Chipre 18%
40. Moldávia 16%
41-42. Bielorrússia, San Marino, 14%
43. República de Macedônia 13%
44. Turquia 12%
45. Mônaco 11%
46. Ucrânia
47. Armênia 9%
48. Rússia 8%
49. Azerbaidjão 5%
Para ler o relatório completo do mapa gay da Europa clique aqui

 

Axel Miami – Banner

Escrito por diogodesa