Hotéis e voos: descubra o que mais estressa e agrada os brasileiros

Hotéis e voos: descubra o que mais estressa e agrada os brasileiros

Viajar e ficar em um bom hotel estão na lista de desejos da maioria das pessoas. Agora, para o sonho virar pesadelo é questão de minutos, ou nesse caso, de aspectos levantados por uma recente Pesquisa de Etiqueta em Hotéis e Aviões da Expedia Group. A plataforma de viagens fez um balanço do que mais tira do sério e também do que mais “acalma a alma” dos brasileiros, e ainda fez um comparativo com demais viajantes de outros lugares do mundo. 

“Por favor, vocês têm Wi-Fi?”

Ele é o queridinho dos brasileiros, o mais amado, o mais valorizado e claro, o mais pedido. 97% o considerou o aspecto mais indispensável não só durante a viagem, bem como o mais importante para efetuar a reserva. O Wi-Fi divide essa moral toda com o preço e a localização, itens também destacados por 96% dos entrevistados.

Axel Miami – Banner

Segundo Marcos Swarowski, Diretor Sênior de Gestão de Mercado da América do Sul do Expedia Group, “a edição de 2019 de nossa pesquisa mostra que as viagens são parte cada vez maior do cotidiano dos brasileiros, e que a tecnologia é um aliado importantíssimo nessa experiência”. A afirmação tem o respaldo de 77% que declararam “muito provável” ou “extremamente provável” o uso de seus smartphones para reservar um voo e 80%, os hotéis. Como essa maioria prefere resolver tudo por lá, “é fundamental que hotéis e companhias aéreas ofereçam boas soluções para suprir essas expectativas, e o Expedia Group se coloca sempre à disposição para auxiliar nesse processo”, complementa.

+ Modelos de malas que se encaixam na nova regra de bagagem de mão
+ Conheça o Wiesbaden, Hotel Gay Friendly em Monte Verde
+ Piloto Delta fala sobre inclusão e igualdade no mês do Orgulho LGBT+

Tarifas inesperadas e não poder remarcar ou cancelar a reserva sem pagar tiram a maioria do sério. Photo by christian buehner on Unsplash


Hotéis: surpresas, só se forem boas!

Sendo assim, nada de tarifas inesperadas, que é o que mais aborrece 44% das pessoas. E na lista do estresse ainda entram mudanças repentinas no itinerário (17%) e não conseguir remarcar ou cancelar uma reserva sem pagar (14%). Calma que tem mais! 46% dos viajantes se sentem muito incomodados por hóspedes que reclamam por coisas pequenas, pelos que pesam a mão no álcool e ficam bêbados no bar (36%), com os que mesmo em seus quartos conseguem ser indiscretos (31%) e também com pais que não prestam atenção em seus pequenos (30%).

Quando o incômodo acontece nas áreas de convívio social, a paciência já não é muita, porém, se a pessoa se sente importunada estando no próprio quarto, ela “põe a boca no trombone” e não pensa duas vezes em ligar para recepção quando:
– O quarto ao lado está fazendo um barulho muito alto. 72% dos brasileiros reclamam mais que os franceses (54%).
– 64% dos brasileiros descem a reclamação se estiver vindo cheiro de maconha pela janela, e ainda estão no meio entre os hóspedes de Hong Kong, que realmente odeiam isso (80%) e os franceses que seguem em uma linha mais “de boa” com seus 37%.
– Barulheira na piscina? Não para os asiáticos! 62% dos taiwaneses, 60% dos indianos e 56% dos sul-coreanos já chamam logo o salva-vidas ou o próprio gerente do hotel para darem um jeito no problema. Aqui, os brasileiros somam 45%.
Depois da tempestade, que tal a calmaria? Entre o que mais conforta os hóspedes, está:
– O frigobar que os permite armazenar seus alimentos e bebidas (96%);
– Um serviço de quarto todo trabalhado na qualidade (94%);
– Bar e restaurantes iguais aos prometidos pelo hotel no fechamento da reserva (92%);
– Um spa para aquele “relax” de sucesso (60%);
– Babá disponível para crianças (58%).

63% dos passageiros no mundo inteiro preferem os assentos com janela. Photo by Daniel McCullough on Unsplash

Portas em automático: a hora do voo!

Bêbados não são bem-vindos no bar e nem no ar: 46% dos brasileiros os consideram muito irritantes. Se a pessoa ao lado estiver cheirando mal ou com aquele perfume super forte, ela já aborrece 38% dos entrevistados (o mesmo percentual para os chutadores de poltrona), mas 48% pedem discretamente para trocar de assento, mesmo número que não hesita em chamar a comissária se vir um passageiro sendo rude com o outro. Se a grosseria for com a funcionária, 25% interviriam, e 26% reclamaram também de pais desatentos.

Quando o assunto é janela ou corredor, como bom brasileiro, você já pode imaginar: 80% escolhem janela (os indianos vem com 84%), 15% preferem o corredor (contra 53% de Singapura) e 4% optam pelos assentos do meio. De modo geral em escala internacional, 63% das pessoas querem uma boa janelinha para chamarem de sua. 

O estudo é fruto de uma colaboração da Expedia com a empresa internacional de pesquisas Northstar Research Partners. 18.237 pessoas de 23 nacionalidades, nas regiões da América do Norte, Europa, América do Sul e Ásia-Pacífico, responderam os questionários on-line entre 12 e 29 de abril de 2019. Fica aí essa super dica para que hotéis e companhias aéreas fiquem atentas para alinharem seus serviços com a expectativa positiva de seus hóspedes e passageiros.

Deixe um comentário