in

Entre vales e montanhas, faça uma linda viagem de bicicleta pelo Vale Europeu catarinense

Passeio de Bicicleta Vale Europeu

Liberdade não tem preço. Em meio a natureza exuberante, plantações de arroz, construções estilo enxaimel, hospedagens em vilas e cidades que mais parecem saídas de conto de fadas e gastronomia para satisfazer paladares exigentes, o cicloturista  se encanta com o que de melhor Santa Catarina oferece. Além, é claro, ser recebido por um povo pra lá de carinhoso.

Leia também: Florianópolis GLS, a cena gay do sul do Brasil 

As meninas são, de longe, as principais adeptas do cicloturismo. Amantes da aventura na companhia de amigas e parceiras são as primeiras a se jogar em roteiros de incluem emoção, resistência física e adrenalina. As trilhas que compõem o circuito do vale europeu atraem turistas de todas as partes, incluindo os que chegam do Exterior.

Cicloturismo vale europeu

Além da aventura de pedalar em trilhas de terra batida com trechos de dificuldade acentuada, o cicloturista se encanta com a paisagem da região, ora formada por construções com características alemãs, ora italianas. O circuito começa em Timbó, cidade com pouco mais de 30 mil habitantes, também conhecida como Pérola do Vale, num ponto exatamente na frente do restaurante Thapyoka. Logo no início, a paisagem da ponte sobre o rio Benedito (que 14 quilômetros depois se junta ao Itajaí-Açu) e a construção histórica onde funciona o complexo turístico do local já sinaliza a beleza que virá a frente. Ali do lado está o Museu do Imigrante, uma boa dica para conhecer um pouco mais da história local antes de iniciar a jornada.

Cicloturismo

Dependendo do tempo disponível, da disposição e do preparo físico é possível visitar nove das cidades do vale incluídas no roteiro de sete dias: Apiuna, Ascurra, Benedito Novo, Dr. Pedrinho, Indaial, Pomerode, Rio dos Cedros, Rodeio e, claro, o ponto de partida, Timbó.

Caso o interessado tenha dificuldade de organizar o próprio roteiro de modo a localizar pontos de parada, alimentação etc, convém entrar em contato, antecipadamente, com a Associação do Vale das Águas, que reúne todo o trade de turismo regional que inclui hotéis, restaurantes, bares, vinícolas e  agências.

Gaúchos, catarinenses e paranaenses são os maiores praticantes do circuito juntamente com estrangeiros que vêm em grupos desbravar os desafios da região. Segundo os organizadores, esta rota é a primeira do Brasil para ser percorrida de bicicleta. O trajeto foi traçado de forma a fugir das estradas de asfalto, priorizando assim as estradinhas de terra mais bonitas e tranquilas.

O circuito tem um total de 300 quilômetros de extensão com início e término em Timbó, a cerca de 30 quilômetros de Blumenau. O percurso pode ser dividido em duas partes: a alta e a baixa. A baixa acompanha o vale dos rios Ada, dos Cedros, Rosina, indo de Timbó até Rodeio. Possui subidas e descidas, é claro, mas retorna sempre a uma altitude pouco maior do que a do nível do mar. Por estas características de relevo, pode ser feito por pessoas que possuam um condicionamento físico razoável e certa experiência com bicicleta.

cicloturismo

Já na alta, o circuito sobe a serra em direção às represas, que ficam a cerca de 700 metros de altitude. É uma região um pouco mais isolada, onde a natureza está muito presente. Cachoeiras paradisíacas compõem o cenário. São frequentes os trechos em que a estradinha estreita se embrenha na mata e permite ficar próximo dos pássaros e outros pequenos animais. O relevo é mais acentuado e exige preparo físico para enfrentar desafios como os longos trechos de subida e certa experiência em cicloturismo, uma vez que o roteiro cruza locais menos habitados.

Em ambas a paisagem é deslumbrante. No caminho veem-se plantações de arroz em contraste com as quaresmeiras de Caravaggio, um bairro de Rio dos Cedros, igrejas católicas e luteranas, casas no estilo enxaimel, pontes cobertas que servem de abrigo para o ciclista, trechos à beira dos rios ideais para um banho refrescante, hortênsias de vários tons e muitas araucárias.

Cicloturismo

Pomerode é a mais conhecida das cidades do vale. Uma boa dica para visitante é saborear dois tipos especiais de bebida artesanal produzida pela Cervejaria Schornstein. Uma delas é a Witbier (estilo belga, com frutas, flocos de trigo, cereais maltados com casca de laranja e coentro) e a IPA – Indian Pale Ale (tipo inglesa, com alta dosagem de lúpulo, conservante que dá a cerveja um amargor superior as demais). Para acompanhar peça pão de cerveja preparado no local.

 

Gastronomia

O Vale Europeu Catarinense oferece muito mais que trilhas e natureza ao viajante. Prepare-se para saborear pratos fantásticos. No ponto de partida da jornada ciclística, no restaurante Thapyoka, tem-se que provar o marreco, especialidade da casa. Prato germânico, a ave é preparada ao forno com recheio de miúdos. Acompanha spazile (massa), repolho roxo, purê de batata. Para beber, um Tridentum, vinho tinto San Michele.

Ainda em Timbó, a sugestão para um jantar mais romântico com maior privacidade é no Bistrô Magnani. Os pratos são individuais. Experimente polvo grelhado com batatas ao murro. Preparado com tentáculos de polvo grelhado com flor de sal. Acompanha batatas ao murro com creme de alho e tapenade de alcaparra, azeitona preta e aliche.

Em Pomerode vá ao Torten Paradise Confeitaria e Restaurante. A comida é por quilo e os pratos são bem variados. Na saída aproveite para um café no Dona Ella. Tudo de bom.

 

Dormir bem

Para descansar as meninas vão adorar a privacidade e o aconchego do Vale dos Ventos Estância Turística que disponibiliza chalés. O estabelecimento ocupa uma fazenda de 13 milhões de metros quadrados (93% da área preservada de mata atlântica) e abriga uma cachoeira de 90 metros de altura.

Já os meninos, certamente vão preferir a área urbana de Timbó. Nesse caso a opção é o Timbó Park Hotel. Um local onde o hóspede encontra o equilíbrio emocional, físico e espiritual, garante Tatiana Honczaryk, a proprietária. O hotel fica nas margens do rio Benedito e tem um bosque de dois mil metros quadrados. Está a poucas quadras do centro, de facílimo acesso.

           

Serviço:

Associação Vale das Águas

Av. Getúlio Vargas, 201 (fundos) – Timbó

(47) 3382.6811

 

Vinícola San Michele

Rua Sílvio Scoz, 415 – São Pedro Novo, Rodeio

(47) 3384.0323

www.sanmichele.ind.br

 

Onde comer:

Restaurante Thapyoka

Av. Getúlio Vargas, 201 – Centro, Timbó

(47) 3382.0198

www.thapyoka.com.br

 

Bistrô Entre Parênteses

Rua Duque de Caxias, 503 – Timbó

(47) 3382.0685

 

Bistrô Magnani

Av. Getúlio Vargas, 125 – Centro, Timbó

(47) 3399.0111

www.magnanibistro.com.br

 

Cervejaria Schornstein

Rua Hermann Weege, 60 – Pomerode

(47) 3387.6655

www.schornstein.com.br

Café Dona Ella

Rua Luiz Abry, 577 – Pomerode

(47) 3387.5404

 

Torten Paradise Confeitaria e Restaurante

Rua Quinze de Novembro, 350 – Pomerode

(47) 3387.5271

www.torten.com.br

 

 

Onde dormir:

Timbo Park Hotel

Rua Blumenau, 141 – Centro Timbó

(47) 3281.0700

www.timbopark.com.br

 

Vale dos Ventos Estância Turística

Rua Bracatinga,  850 – bairro Rio Bonito, Rio dos Cedros

(47) 3039.9395

www.valedosventos.com.br

 

 

 

Fórum de Turismo LGBT Top

Escrito por alexbernardes