in , ,

Comunidade LGBTQIA+ considera o Twitter a melhor rede social para se expressar

comunidade LGBTQIA+
Fairmont

Um lugar em que pessoas da comunidade LGBTQIA+ podem encontrar e participar de conversas sobre temas relevantes, tendo espaço para dar visibilidade a assuntos importantes e engajar em temas que lhes dizem respeito. De acordo com pesquisa inédita feita pela plataforma no país, é assim que a comunidade LGBTQIA+ no Brasil vê o Twitter.

+ Promoção de hotel no Rio de Janeiro exclusiva para leitores da ViaG. Confira!

+ Projeto “Cidade Orgulho&” iluminará Brasília com as cores do arco-íris

VILA GALÉ RIO – LGBT
VILA GALÉ SP – LGBT

+ Representatividade trans na publicidade: Pink Money ou apoio à causa?

O estudo mostra que quatro em cada cinco pessoas LGBTQIA+ acreditam que a plataforma é um local em que as pessoas podem ser elas mesmas. Para 75% dos entrevistados, o Twitter permite que a comunidade crie a sua própria narrativa, ao passo que 73% acham que ele possibilita unir as pessoas LGBTQIA+. Além disso, quase 70% acreditam que a plataforma é onde elas se sentem confortáveis para exporem suas próprias ideias e opiniões.

A pesquisa revelou ainda que 79% das pessoas entram no Twitter para compartilhar seus próprios pensamentos, opiniões e experiências. Já 72% consideram o Twitter melhor do que outras plataformas no quesito “conteúdos sobre minha comunidade”. A razão mais citada foi “público mais jovem/aberto/diverso”, seguida de “liberdade para ser quem sou” e “diversidade de opiniões”.

Os dados de engajamento da comunidade LGBTQIA+ apresentados pela pesquisa confirmam a preferência do público pelo Twitter. Dentre as pessoas entrevistadas, 83% afirmaram que se conectam para ver Tweets engraçados ou virais voltados à comunidade, 81% seguem notícias, assuntos e causas, 79% buscam se conectar a outras pessoas e 67% seguem líderes e influenciadores relacionados à causa. Os resultados têm por base as respostas de 500 pessoas da comunidade LGBTQIA+ que usam o Twitter e que responderam questionários online no mês de março deste ano.

GUIA LGBT RECIFE

Escrito por alexbernardes