Gretchen, de rainha dos memes, parceira de Katy Perry, defensora LGBT e dona de casa. Confira entrevista!


Aos 58 anos, a cantora viu sua vida dar uma volta de 180
graus ao estourar como musa de memes na internet e participar de um clipe de Katy Perry, mas conta que sua família é bem mais tradicional do que imaginam

Por Felipe Abílio

Rainha do rebolado, dos memes, “das gays” e do que ela quiser… Gretchen surgiu pela primeira vez para o público em 1976, cantando com a orquestra do Maestro Zaccaro. Pouco tempo depois, estourou ao lado das irmãs Sula Miranda, Yara e a prima Paula com o grupo As Melindrosas, vendendo um milhão de cópias de LP no primeiro mês.

Com 40 anos de carreira, a artista já apareceu na TV como cantora, atriz, apresentadora, dançarina, mas foi com a participação no reality show “A Fazenda 5”, em 2012, que suas caras e bocas caíram nas graças da geração millennial e viraram memes na internet. “Achava estranho alguém usar minha imagem falando uma coisa que eu não estava falando, aí eu comecei a querer processar o povo”, relembra, rindo.

Com suas imagens sempre muito compartilhadas por brasileiros nas redes sociais, Gretchen começou a chamar a atenção de artistas internacionais como a rapper Nicki Minaj e as meninas do Fifth Harmony,  que questionaram seus fãs sobre aquela mulher que eles tanto insistiam em mandar pelo Twitter.

Mas, foi uma ligação inusitada em novembro do ano passado que surpreendeu Gretchen. Do outro lado da linha eram os agentes de Katy Perry, que de tanto receber os memes da brasileira, teve a sacada chamá-la para estrelar o lyric vídeo da música “Swish Swish”, primeiro single do álbum “Witness”. A parceria já rendeu mais de 80 milhões de visualizações no YouTube, desde a estreia em janeiro, e até a participação da norte-americana no reality show sobre a família de Gretchen, que está sendo gravado para o Multishow.

Em entrevista exclusiva para a ViaG, ela fala do novo momento na carreira e de sua relação com o filho transexual.

Quem é a Gretchen aos 58 anos?
Sou uma artista que está se sentindo completamente realizada, muito feliz, principalmente com esse “fechamento” de ter encontrado a Katy Perry, de ter sido convidada para fazer o lyric vídeo de “Swish Swish” e de ter participado do show.

É verdade que, quando começaram a surgir os primeiros memes com suas fotos, você odiou?
Achava estranho alguém usar minha imagem falando uma coisa que eu não estava falando, aí eu comecei a querer processar o povo. Aprendi com o meu pai, que queria sempre processar todo mundo (risos). Mas aí vi que era uma brincadeira, uma coisa engraçada e hoje acho o máximo.

Hugo Gloss, Gretchen e Katy Perry (Foto: divulgação)

Com 40 anos de carreira, você imaginava que os memes iriam te levar até Katy Perry?
A produção dela entrou em contato com os meus agentes para ver se teria a possibilidade de fazer essa parceria para o lyric vídeo de “Swish Swish”, mas como é que você vai acreditar que a Katy Perry está te ligando para fazer um vídeo com você? Achei que era uma pegadinha do Rodrigo Faro, que é meu amigo e adora fazer essas brincadeiras. Acredita que até perto do dia da gravação eu não acreditava?! (risos)

O clipe foi sucesso absoluto e rendeu o convite para subir ao palco com Katy Perry na passagem da turnê “Witness” por São Paulo, em março deste ano. Como foi este momento para você?
Achei incrível ela ter tido a sensibilidade de me convidar, porque se ela tivesse vindo para o Brasil e fosse um encontro rápido no backstage, os fãs iriam cobrar isso dela. Foi maravilhoso, ela é uma pessoa generosa, bem-humorada, engraçada, é como a nossa Ivete Sangalo, como eu, uma artista muito humana, inteligente, o bom humor dela é muito legal.

É verdade que você já foi reconhecida fora do Brasil por conta do clipe?
Já me reconheceram no aeroporto de Lisboa, de Porto, em Paris. Uma vez estava fazendo aula de zumba onde moro, em Mônaco, e uma criançada veio perguntar se era eu mesma.

Em 2006, quando seu filho Thammy Miranda começou a questionar sua identidade de gênero, a vida de toda a família entrou em evidência e nunca mais saiu. Thammy começou o processo de transição sexual em 2014 e você sempre esteve junto. Como é sua relação com ele hoje?
Nossa relação é maravilhosa porque existe o respeito. Aliás, o respeito tem que existir em tudo, se existir o respeito você consegue se dar bem em todos os fatores da vida. Ele está mais feliz do nunca, casado, começaram uma nova vida.

 Em várias entrevistas, você conta que sofreu quando descobriu a transexualidade de Thammy, mas, com o tempo, você virou ativista quando o assunto é a comunidade LGBT. O que você falaria para uma mãe que acabou de descobrir que tem um filho gay, lésbica ou transexual?
Quando estamos grávidas, todo mundo faz aquela famosa pergunta “o que você quer que seja: menino ou menina?”, e a gente responde “tanto faz, quero que venha com saúde”. Nunca podemos esquecer isso, porque tanto faz que seja homem, mulher, heterossexual, gay, lésbica, o importante é que tenha saúde porque é o filho da gente.

Mudaria algo se pudesse voltar no tempo?
Tudo na vida é um aprendizado, tudo tem um motivo. Toda experiência de vida é válida.

Qual a maior lição que você aprendeu na sua vida?
Respeitar o ser humano independentemente das escolhas de cada um. Respeito é a coisa mais importante da minha família.

 Voltando lá nos anos 1990, você poderia imaginar que viraria a rainha dos gays e mãe de um homem trans que, aliás, é um dos mais famosos do Brasil?
Acho ótimo porque sou preparada para as coisas que a vida me traz. É uma sensação incrível! A maior parte das famílias não aceitam os filhos homossexuais, digo a maioria porque é a realidade. Todo mundo fala que as coisas estão mudando, mas não mudaram ainda, está muito difícil. E quando eles [pessoas LGBT] me encontram pessoalmente, procuram sempre pegar um pouquinho do que eu tenho como mãe para passar para eles. Tenho recebido carinho como uma mãe.

 Prestes a completar 59 anos, para onde a Gretchen quer ir agora?
Vou continuar aposentada. Eu digo que estou aposentada e só fazendo uns freelas por fora (risos). Continuo vivendo minha vidinha lá fora [em Mônaco], venho para o Brasil fazer uns shows, atender as demandas. O reality show “Os Gretchens” acabou de estrear e você deve estar vendo o sucesso que está fazendo. Todo mundo amou e isso cada vez vai chamar mais trabalho porque temos outras temporadas vindo por aí.

O reality “Os Gretchens”, do Multishow, coloca toda sua família de novo numa exposição direta com câmeras acompanhando o dia a dia de todos. Como está sendo este momento para você?
Acho muito importante porque a gente tem uma mensagem incrível de família para mostrar. Todo mundo pensava que iria ver uma família maluca, fora dos eixos, mas não, somos uma família mais tradicional, completamente engraçada e com muitas superações. Acho que a gente tem uma grande lição de vida para mostrar para todo mundo.

Esta reviravolta na sua carreira está possibilitando que você fique ainda mais rica e poderosa?
Rica não porque não tenho essas ambições, quero apenas aproveitar esse momento para fazer a minha aposentadoria porque você sabe que artista não tem. Então, estou aproveitando mais esta oportunidade com todas as forças.

Mesmo aposentada, você acabou de lançar uma música chamada “Salto 15”, que fala sobre o empoderamento feminino. O que você pensa sobre o assunto?
É uma música do meu produtor Tiquinho, e a letra é do meu filho Gabriel. Fala de empoderamento feminino, mostrando que eu crio os meus filhos para respeitarem a mulher. Um homem só aprende quando a mãe ensina, os meus filhos são cavalheiros, cuidam de suas esposas e ai deles se algum dia levantarem a mão para elas, porque quem vai dar bolachada sou eu! Sobre casamento, penso que a mulher tem que trabalhar, ganhar dinheiro, ter independência financeira e depois pensar em casamento.

Mesmo morando fora do país, como você vê a situação política neste ano de eleição presidencial?
Espero que o povo não dê uma de maluco, que veja tudo que está acontecendo e se posicione direito, sem aquela história de dar votos propositalmente como protesto, já cansamos dessa maluquice na política. Chegou a hora de ser consciente. Se não achou nenhum candidato, anule seu voto, mas não vote em quem não deve, porque senão vão aguentar ainda mais tudo isso que está acontecendo. Se você quer um novo Brasil, vote consciente.

Deixe um comentário