Jujuy e Salta, dois incríveis lugares para se conhecer na Argentina

Talvez falar sobre a Argentina possa parecer um pouco óbvio, mas o roteiro que preparamos a seguir vai além de Buenos Aires. Nas próximas páginas vamos fazer um mergulho profundo nas províncias de Jujuy e Salta, dois incríveis lugares para se conhecer na Argentina, ambas ao norte daquele país, famosas por paisagens montanhosas e pela produção de vinho, mas que ainda são pouco exploradas pelos turistas LGBT.

Apenas uma hora e cinqüenta minutos de voo de Buenos Aires, em direção ao norte da Argentina, está a província de Jujuy. Essa região é muito conhecida pelas lindas paisagens multicoloridas e por sua forte cultura de influência Ínca.

Jujuy é uma província relativamente pequena, e seus mais belos pontos turísticos podem ser conhecidos de carro. Comece saindo da simpática capital São Salvador de Jujuy e visite as Salinas Grandes. Essa atração formada entre 5 e 10 milhões de anos atrás, é uma das maiores depressões da província. São mais de 212km2 de sal a céu aberto que ofusca pela vastidão infinita de cor branca.

Vila Galé – Fortaleza
Las Salinas Grandes  - JUJUY
Las Salinas Grandes

Em certos momentos é fácil se confundir com tanto branco, ora parece com neve, ora com areia branca e ora com sal. Mas antes de chegar nas Salinas Grandes, está o pequeno povoado de Purmamarca, um dos pontos altos da viagem. O local é famoso pelo “Cierro de los 7 Colores” , uma formação geológica complexa e multicolorida que se tornou um dos cartões postais da região. A estrada até chegar a esses dois locais é uma atração a parte. A paisagem é deslumbrante, e altitude que chega a mais de 4 mil metros acima do nível do mar, nos dá a sensação de poder tocar as nuvens. Uma experiência inesquecível.

Outro ponto alto da viagem é a visita ao Vale de Humahuaca, ou Quebrada de Humahuaca. O local é declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO. A aridez da paisagem se acentua com a presença dos imensos cactos. A região é habitada há mais de 10 mil anos. Isso pode ser comprovado na pequena cidade de Tilcara. No topo de uma colina, distante apenas 1 quilômetro do centro da cidade está o sitio arqueológico de Pukara de Tilcara. As ruínas da antiga civilização que ali viveu estão em bom estado de conservação, e num rápido passeio é possível entender como era a vida da população local.

Jujuy
Topo da Colina de Tilcara

Para enriquecer ainda mais essa experiência, faça o trajeto entre o centro da cidade até os pés da colina em uma caravana de llamas.  Elas são dóceis, e são consideradas um dos símbolos da região. Da llama se aproveita praticamente tudo, do pelo a carne, e se a sua começar a das uns gritinhos histéricos no meio do caminho, não se assuste, é sinal de que ela está gostando do passeio, mas se ela parar de repente, olhar fixo nos seus olhos e baixar as orelhas, corra, ela provavelmente vai cuspir na sua cara. Um desaforo.

Passeios com lhamas
Passeio com as lhamas

Imperdível também é visitação a Serranias Del Hornocal. Esse lindo agrupado de montanhas se estende desde o Peru, passa pela Bolívia, e só terminam na província de Salta, nossa próxima parada.  A formação pontiaguda e multicolorida deslumbra os olhos dos mais apáticos dos turistas. Com 4.761 metros acima do nível, essa visitação é de tirar o fôlego, respirar é quase impossível. O melhor horário para o passeio é entre as 15 e 16 horas. Nesse momento a luz do sol ilumina as paredes das montanhas, e suas cores se revelam ainda mais fortes em contraste com o azul do céu. Uma contemplação quase que surreal.

Serranias Del Hornocal  - Jujuy
Serranias Del Hornocal, mais de 4 mil metros de altitude

Salta.

Província vizinha de Jujuy, Salta se destaca pelas paisagens, turismo de aventura e pela produção de vinho. A capital que leva o mesmo nome, tem perto de 1 milhão de habitantes o que garante uma das vidas noturnas mais badaladas do norte da Argentina. A vida boêmia pulsa nos bares e restaurantes da Calle Balcare, ponto de encontro de turistas e locais que se divertem nas centenas de bares ao longo da rua. A cena gay também tem espaço, porém nada muito grande, apenas alguns bares e duas casas noturnas fazem a alegria da comunidade LGBT da região.

Calle Balcare - Salta
Calle Balcare, a vida boêmia da cidade de Salta

Para curtir o dia, um passeio pelo centro histórico da cidade encanta pela arquitetura colonial. O cume fica por conta da praça 9 de Julho, a principal da cidade. Ao redor estão os mais importantes prédios históricos como prefeitura, a sede do governo da província, o Museu de Arquiologia, e é claro a catedral. De longe a cidade mais espanhola da Argentina.

Salta -
Prédio colonial nos arredores da praça 9 de Julho na cidade de Salta
Salta
Catedral da cidade

Reserve energia e pegue a estrada rumo a cidade de Cafayate. Pela estrada, cercada de montanhas, desfiladeiros, vales e rios, encontramos a todo o momento, turistas aventureiros que encaram o calor e fazem todo o trajeto de bicicleta, moto e até a pé.

Salta
Casal de meninas aventurando-se no caminho de Salta para Cafayate

A paisagem é uma imensidão, impossível de ser captada em sua plenitude pelas lentes de câmera. Faça uma parada obrigatória na Garganta do Diabo, uma falha geológica num conjunto rochoso que foi esculpido caprichosamente pela força da água e que hoje serve de anfiteatro. Algumas vezes por ano o governo local promove consertos de música clássica nesse local de acústica natural. Não tenha pressa, a cada curva o cenário muda, assim como a vegetação e as cores.

Garganta del Diablo
Garganta del Diablo, formação rochosa esculpida pela força das águas

A região de Cafayate ganha destaque também pela produção de vinho. Apesar de ser responsável por apenas 2% do total que é produzido na Argentina, os vinhos de Cafayate ganhou fama pela qualidade.  A altitude e clima desértico de calor durante o dia, e frio pela noite, garantiu o plantio das uvas Torrontés.

Vinícola em Cafayate
Parreiral em Cafayate

Na taça, o resultado é um vinho leve, de fácil degustação, frutado e floral, e de pouca acidez. É possível fazer visitas guiadas e degustativas em quase todas as vinícolas da cidade, desde as pequenas produções familiares, até as grandes e modernas produções. A dica é se hospedar num dos hotéis bodegas que cercam a cidade. Apreciar os parreirais durante o dia, e degustar um delicioso vinho durante a noite contemplando as estrelas ao lado do seu amor deixará sua viagem ainda mais especial.

Degustação de vinho em Cafayate
grupo de turistas LGBT degustando vinhos produzidos em Cafayate