Pastor Márcio Matos: “Orientação sexual dos fiéis não importa ao demais”

Pastor Márcio Matos: “Orientação sexual dos fiéis não importa ao demais”

O pastor Márcio Matos, considerado um homem moderno e sem preconceitos, é vice-presidente da Igreja Pentecostal Anabatista, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O templo é uma das poucas unidades evangélicas que aceitam fiéis homossexuais e transexuais. Para Matos, a orientação sexual dos frequentadores da igreja não importa aos demais, tendo como relevância sua fé.

“Buscando ser um bom pastor e zelar a casa de Deus, permito a entrada de todos que quiserem adorar a Ele. A porta fica sempre aberta a todos, sem distinção, que são igualmente tratados. Acho que isso deixa as pessoas que querem realmente buscar a Deus mais à vontade”, afirma o pastor, que se mantém atento para que preconceitos não atrapalhem a comunhão.

Em seus estudos bíblicos, Matos procura mostrar que alimentar preconceitos não é uma atitude cristã. “Digo sempre que no tempo em que Cristo esteve entre nós, sua igreja era todo o mundo, e ali tinha de tudo: ladrões, prostitutas e homossexuais. Ninguém questionou a Cristo o porquê de essas pessoas no mundo. Todas que foram a ele, ele aceitou e as libertou. Esse processo só cabe à pessoa e ao próprio Cristo”, diz.

Pai de dois filhos e avô de dois netos, o pastor concilia sua rotina como chefe de família e vice-presidente e pastor na Igreja Pentecostal Anabatista, a fim de tornar a sociedade melhor. Nas horas vagas, aproveita seu tempo com os familiares, já que, segundo ele, família é tudo.

“Nós nos respeitamos em tudo, compreendemos que somos falhos e que iremos falhar, mas entendemos que podemos superar tudo se nos unirmos. Colocamos a nossa família sempre em primeiro lugar. Vivemos bem na mesma casa pois há democracia: decidimos tudo em conjunto na presença de Deus”, completa Matos.

Deixe um comentário