Ministério da Saúde exonera diretora do Departamento de HIV/Aids

Ministério da Saúde exonera diretora do Departamento de HIV/Aids

A médica sanitarista Adele Benzaken foi exonerada da direção do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das ISTs, do HIV e Hepatites Virais do Ministério da Saúde. A decisão foi tomada uma semana depois da polêmica em torno da cartilha, lançada há seis meses, para homens trans.

O Ministério afirmou que a mudança se trata de uma reformulação na equipe. Além disso, destaca que Adele foi convidada para continuar a contribuir para formulação de políticas no setor. Para a função, assume a diretoria seu adjunto, Gerson Pereira.

Vale destacar que os sinais de que a gestão de Adele estavam sob risco começaram ainda antes da posse do presidente Jair Bolsonaro. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, já havia mostrado descontentamento com as ações de prevenção. Além disso, ele teria dito ser necessária a adoção de estratégias que não “ofendessem” as famílias.

Adele Benzaken na pasta

Adele assumiu a direção do departamento de HIV/Aids em 2016. Em sua gestão, o País começou a adotar a profilaxia pré-exposição (PrEP). Assim, é previsto o uso de antirretrovirais não como tratamento do HIV, mas para prevenir a infecção.

Com amplo apoio de organizações não governamentais, a permanência de Adele era considerada como uma garantia da manutenção de ações modernas de prevenção, de combate ao preconceito e de promoção dos direitos humanos.

Leia mais Notícias.

Deixe um comentário