Hong Kong concede vistos a cônjuges de trabalhadores gays

Hong Kong concede vistos a cônjuges de trabalhadores gays

Uma decisão histórica de um tribunal de Hong Kong concedeu vistos a cônjuges de trabalhadores gays expatriados. O fato ocorrido na China ajudará a dar força a grupos LGBT que estão pressionando Singapura e o Japão a mudarem suas políticas, em um momento em que os centros financeiros globais competem por negóciUma decisão histórica de um tribunal de Hong Kong concedeu vistos a cônjuges de trabalhadores gays expatriados. os e talentos. A decisão do supremo tribunal coloca o principal centro financeiro da Ásia na vanguarda do incipiente movimento pelos direitos dos gays na Ásia, onde só Taiwan está em processo de reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O Japão e Singapura não concedem vistos a cônjuges do mesmo sexo. Para as empresas financeiras do Japão, a decisão de Hong Kong poderia tornar mais difícil a contratação de expatriados, especialmente diante da baixa probabilidade de que os tribunais ou legisladores japoneses discutam o assunto em breve.

O partido do primeiro-ministro japonês Shinzo Abe publicou um documento com suas políticas em 2016 em que enfatizava que aceitar a diversidade não significava negar a diferença entre gêneros, e não se mostrou necessariamente a favor de permitir o casamento entre pessoas do mesmo gênero. “Se outras cidades não permitirem a concessão de vistos a cônjuges do mesmo sexo, elas correm o risco de perder a dimensão relativa de serem liberais e abertas”, disse Nobuko Kobayashi, sócio em Tóquio da A.T. Kearney, uma empresa de consultoria em gestão. “Na hipótese de tudo o mais ser igual, um expatriado de mentalidade liberal escolheria Hong Kong mesmo sem ser LGBT.”

Reveillon Rio 2019

Se outras cidades não permitirem a concessão de vistos a cônjuges do mesmo sexo, elas correm o risco de perder a dimensão relativa de serem liberais e abertas

Há algumas iniciativas em andamento em alguns lugares do Japão para reconhecer uniões entre pessoas do mesmo sexo. Em 2018, Fukuoka começou a emitir certificados de parceria para casais do mesmo sexo e Osaka seguiu o exemplo. Medidas para autorizar a concessão de certificados de parcerias do mesmo sexo estão sendo estudadas em Chiba e Yokohama. Contudo, os certificados não têm status legal. Em Singapura ainda existe uma lei da era colonial contra a sodomia e, no ano passado, o governo proibiu os estrangeiros de participarem do Pink Dot Rally que se realiza anualmente no país em apoio aos direitos dos gays.

Hong Kong é o terceiro maior centro financeiro do mundo, seguido por Singapura e Tóquio, de acordo com o Global Financial Centres Index publicado em março. Londres e Nova York ficaram em primeiro e segundo lugar, respectivamente. O Reino Unido e os EUA concedem direitos de visto a cônjuges do mesmo sexo.

Deixe um comentário