“Não tinha esperança por todo o bullying sofrido”, diz Pabllo Vittar na revista “Paper”

“Não tinha esperança por todo o bullying sofrido”, diz Pabllo Vittar na revista “Paper”

Se muita gente já acha que Pabllo Vittar está indo longe demais, é melhor se segurar na cadeira. A cantora e drag queen é a última capa do mês do orgulho LGBT da conceituada revista americana Paper Magazine. A publicação, que é considerada uma das mais antenadas e artística dos Estados Unidos, nomeou Pabllo como “ícone brasileiro”, falou sobre seu talento multifacetado e citou o beijo em Diplo no clipe “Então Vai”.

Na entrevista, comandada pela cantora britânica Charli XCX, Pabllo falou sobre o início na carreira e o quanto sofreu por ter sido um adolescente afeminado.

“Se eu não pudesse fazer drag, cantar ou fazer o que eu faço, eu me sentiria muito triste. Eu seria um pássaro longe do ninho. Foi muito difícil no começo. Sempre sonhei em ser capaz de atuar, estar em um em ser capaz de atuar, estar em um palco, cantar e fazer arte, mas ao mesmo tempo eu não tinha muita esperança por causa de todo o bullying que tinha passado. As pessoas na escola diziam que eu nunca seria alguém, e por muito tempo na minha vida eu acreditei nisso.”

Vila Galé – Fortaleza

Mesmo com as dificuldades, Pabllo falou com orgulho da força que a comunidade LGBT brasileira tem.

“Se pudesse ter escolhido onde nasci, eu teria escolhido nascer aqui de qualquer maneira, porque as pessoas LGBTQ+ no Brasil são muito fortes. Não quero dizer que a comunidade não seja forte em outros lugares, mas aqui temos um trabalho a fazer: nos unir como pessoas”

A revista destacou que Pabllo chamou a atenção de Diplo, fundador do Major Lazer, depois de fazer uma versão brasileira conhecida como “Open Bar” de uma música “Lean On” produzida por ele com a dinamarquesa MØ e relembrou o beijo entre eles na parceria da música “Então vai”.

“Seus lábios são doces e macios, parecia como comer jambu, que é uma fruta muito doce e deliciosa do Brasil”.

Deixe um comentário