“Ter uma Pabllo traz respaldo, respiro e esperança para toda a comunidade”, diz Tchaka, apresentadora da Parada LGBT de São Paulo

“Ter uma Pabllo traz respaldo, respiro e esperança para toda a comunidade”, diz Tchaka, apresentadora da Parada LGBT de São Paulo

Com 18 anos de carreira, a drag também comentou sobre a importância de falar de política e do voto durante o desfile

Por Felipe Abílio

Com o tema “Nosso Voto, Nossa Voz”, a 22ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que acontece neste domingo (3), quer fazer história em ano de eleição. Apresentadora oficial do evento, a drag queen Tchaka falou sobre a importância de votar com consciência para fazer a diferença nas eleições presidenciais em outubro.

“Temos candidatos e candidatas de todos os partidos e frentes mas não vote em algum LGBT que entrou naquele partido só para atrair os votos dessa parcela. No Brasil, não votamos em ideias ou partidos, nós votamos em pessoas. Então, vamos estudar em quem a gente vai votar para que isso não se perca e a gente não se esqueça quem cobrar nos quatro anos seguintes. Tem outra coisa: LGBT vota em LGBT, é uma hashtag muito importante, pode ser em uma pessoa da comunidade ou alguém que compre essa bandeira e caminhe junto na nossa luta”, disse ela.

Sempre à frente de várias causas importantes da comunidade LGBT, Tchaka comemorou a assinatura da continuidade do Projeto Reinserção Social Transcidadania na cidade de São Paulo, que oferece oportunidades de inclusão na sociedade para transexuais e travestis em situação de vulnerabilidade — e reforça a luta diária para conquistar ainda mais direitos para a comunidade.

“O que acontece é que em São Paulo de forma oficial não aceitamos nenhum tipo de preconceito, exclusão ou segregação. Quando vejo isso, tenho a certeza de que estamos no caminho certo, da luta, da resistência e dos cutucões sérios de quem assina. É uma política para todos e todas, algumas pessoas são mais conservadoras, ou mais ainda, podem ser militantes do mal, mas essas pessoas precisam entender que elas têm que se adequar ao novo e ao certo, ou voltar para as cavernas, porque a gente não vai sair mais daqui.”

Tchaka Drag Queen – Foto: Divulgação

Com 18 anos de carreira, Tchaka vai receber artistas de peso para agregar força à luta da Parada do Orgulho LGBT, como Pabllo Vittar, Mulher Pepita e Lia Clark. Tchaka falou também sobre o estouro das drag queens como artistas reconhecidas por seus talentos na mídia brasileira.

“Não existe drag queen do ontem, hoje ou amanhã, nós somos, sempre existimos. Quando vem o advento de um fenômeno como Pabllo Vittar, a gente tem a certeza de que valeu e vale a pena através da arte, do talento, do estranho, do exótico. Pabllo conseguiu chegar a lugares que nenhuma outra drag queen brasileira conseguiu. Um dia peguei uma revista Rolling Stone, que é uma publicação direcionada para homens, roqueiros, e quem estava na capa? Pabllo, isso é muita representatividade. Quando se tem uma Pabllo, isso traz respaldo, respiro e esperança para toda a comunidade de artistas, drags e afeminadas que existem desde crianças.”

A artista também destaca que o sucesso de novos talentos LGBTs atrai investidores que ajudam a reafirmar a importância da inclusão de todos com direitos iguais.

“Além de ter o efêmero e a ilusão da Pabllo Vittar, as empresas acreditam que elas podem investir e fazer business através dela. Não que a empresa seja a legalzinha e está querendo apenas a inclusão, mas dentro do negócio a inclusão acaba acontecendo e isso é legal.”

 

Parada do Orgulho LGBT de São Paulo 

A 22ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo acontece no domingo (3) com concentração a partir das 10h em frente ao MASP, na Avenida Paulista. Para esta edição, o tema é Eleições e o slogan “Poder para LGBTI+, Nosso Voto, Nossa Voz”.

Programação 

A Parada do Orgulho LGBT terá sua concentração às 10 horas e início da marcha às 12h com saída do primeiro trio. O trajeto dos trios será entre a Avenida Paulista e a Rua da Consolação. O último trio chega à Rua da Consolação às 18 horas.

Heitor Werneck, produtor artístico, informa que a Parada de 2018 será mais inclusiva: terá balé com cadeirantes, pessoas com deficiência e mobilidade reduzida e intérpretes de libras. Ao final da Parada, no Vale do Anhangabaú, acontecerá a partir das 19 horas o show de encerramento com Banana Split, Fíakra e Jade Baraldo, além de diversos outros artistas.

Por enquanto, as atrações principais são Pabllo Vittar, Preta Gil, Mulher Pepita, Lia Clark e April Carrion nos trios da Uber.

Ordem dos Trios

01 . Abertura – ONG APOGLBT SP
02 . Famílias LGBT/ Mães pela Diversidade – ONG APOGLBT SP
03 . Coordenação de Políticas para LGBT – Prefeitura SP
04 . AHF/Secretarias Saúde
05 . Casa Florescer – Prefeitura SP
06.  Centro de Cidadania LGBTI –Prefeitura SP
07 . Identidade TransTTs – ONG APOGLBT SP
08 .Transcidadania – Prefeitura SP
09 . Juventude LGBT – ONG APOGLBT SP
10 . Lésbica &Bi – ONG APOGLBT SP
11 . SMDHC – Prefeitura SP
12 . Gays&BI – ONG APOGLBT-SP
13 . Museu da Diversidade – ONG APOGLBT-SP
14 .  Trio SKOL
15 . Artistas da Noite – ONG APOGLBT-SP
16 .  Trio UBER I
17 .  Trio UBER II
18 . Trio da Paz/Encerramento – ONG APOGLBT-SP

Bloqueio da Av. Paulista

A Av. Paulista estará bloqueada para carros a partir das 8 horas do dia 3 de Junho. A liberação da Avenida Paulista acontecerá após a limpeza da via urbana no domingo. A Rua da Consolação ficará bloqueada para carros entre 12h e 19 horas.

“Ter uma Pabllo traz respaldo, respiro e esperança para toda a comunidade”, diz Tchaka, apresentadora da Parada LGBT de São Paulo

Tchaka Drag Rainha, apresentadora oficial da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo – APOGLBT, abriu o coração e falou sobre o que acha de artistas como Pabllo Vittar, além de reforçar a importância do voto consciente, tema do desfile este ano!Link da matéria completa nos comentários =)

Posted by Revista ViaG on Sunday, June 3, 2018

 

Deixe um comentário