Preconceito familiar e amor entre dois amigos do mesmo sexo estreia no Brasil

Preconceito familiar e amor entre dois amigos do mesmo sexo estreia no Brasil

O preconceito de uma família com o romance entre dois amigos de infância do mesmo sexo, que vivem em uma pequena cidade conservadora, é uma realidade recorrente e bastante sensível à comunidade LGBT. O tema inspirou o debate e conduz o roteiro do drama romântico ‘Esteros’ (assista o trailer), que estreia nesta quinta-feira, 27 de julho, nas salas de cinema brasileiras. Distribuído pela Europa Filmes, o longa-metragem chega ao circuito nacional com histórico de exibições e prêmios em importantes festivais de cinema brasileiros e internacionais. ‘Esteros’ é uma coprodução Brasil (Latina Estudio) e Argentina (Hain Cine e Mulata Filmes).

Rodado em 2015 pelo diretor argentino Papu Curotto, ‘Esteros’ narra a passagem de tempo no amor entre Matias (Ignacio Rogers) e Jerônimo (Esteban Masturini), em Paso de los Libres, cidade folclórica na fronteira entre Argentina e Brasil. Ao final dos anos 1990, os amigos inseparáveis vivem juntos o despertar da sexualidade e, nos dias atuais, já adultos, eles se reencontram como que por acaso. Cada um com sua vida feita, agora são eles que devem tomar a decisão de enfrentar a relação entre ambos.

Filho da atraente e tradicional mãe brasileira Inês (Mariana Martinez) e do formal e exigente Roberto (Pablo Cura), Matias reprime seus sentimentos na tentativa de seguir os valores impostos pela sociedade e, consequentemente, na busca pela aproximação e aceitação dos pais. Ele namora Rochi (Renata Calmon), uma bela mulher que faz de tudo para agradar o namorado, mas que anda frustrada pelo distanciamento dele. Já Jerônimo vivencia o oposto da vida de seu pretendente à medida que mantém uma relação amigável com sua carinhosa mãe Marilu (Maria Merlino) e o pai Estevão (Marcelo Subiotto). O longa traz a participação especial do ator brasileiro Felipe Titto, que dá vida ao Tutto, um comerciante que contracena com Jerônimo.

O filme evidencia a primeira paixão, que é anterior à consciência do desejo e de seus limites, e mostra a influência do sentimento na vida posterior dos dois jovens. “Dois aspectos são fundamentais nessa história: delicadeza para falar do desejo entre dois pré-adolescentes e naturalidade para expor o reencontro dos personagens já adultos, considerando que ‘Esteros’ não é apenas uma história de amor entre homens, mas também é – com a mesma potência – a narração do despertar pré-adolescente ao amor e à sexualidade”, explica Curotto.

A paisagem natural do estado de Corrientes, onde fica Paso de los Libres, é a chave do relato. ‘Esteros Del Iberá’, principal locação do filme, com seu potencial visual e a realidade de uma beleza em risco, carregam de intensidade os acontecimentos e as tensões entre Matias e Jerônimo. “É importante mostrar estes acontecimentos e os contextos que repercutem neles, os influenciam e, em várias ocasiões, os censuram ou os negam”, destaca o diretor. “Nestes tempos de abertura e visibilidade das diferenças que, felizmente, transitamos como sociedade, é essencial dar lugar a estas histórias. Contar, a partir de um ponto de vista transparente, a diversidade como parte construtiva da nossa identidade é mostrar outras formas de ser nos relatos que nos contam”, conclui Curotto.

No ano passado, o longa ‘Esteros’ foi consagrado em importantes janelas audiovisuais no Brasil e também internacionais. Venceu como Melhor Filme Estrangeiro no Júri Popular e recebeu o Prêmio Especial do Júri na 44ª edição do Festival de Cinema de Gramado, no Rio Grande do Sul, e conquistou o troféu de Melhor Edição do Festival de Cine de Las Tres Frontreras, em Foz do Iguaçu. Foi exibido no Festival MixBrasil de Cultura e da Diversidade, em São Paulo; Outfest Los Angeles – LGBT Film Festival, nos Estados Unidos; no Hong Kong Lesbian And Gay Film Festival, na China; no Asterisco Festival Internacional de Cine LGBTIQ e no Festival Internacional de Cine de Mar Del Plata, esses dois últimos na Argentina.

Deixe um comentário