Discurso de Meryl Streep contra Trump marca Globo de Ouro 2017

Em noite de homenagens neste último domingo (08) durante o Globo de Ouro 2017, que aconteceu em Los ANgeles, o destaque ficou para a atriz Meryl Streep, que fez críticas ao governo Trump enquanto era homenageada com o Cecil B.Mille Award, prêmio conjunto pela obra.

discuso

Em discurso para centenas de artistas de Hollywood, Meryl Streep fez referência às críticas de Trump a um jornalista deficiente do New York Times e disse que a violência gera mais violência. Veja trecho do discurso:

Axel Miami – Banner

Hollywood está repleta de estranhos e estrangeiros. E se nós expulsarmos todos eles para fora, não teremos nada para assistir, apenas futebol e artes marciais, que não são artes. O único trabalho de um ator é entrar na vida de pessoas que são diferentes de nós e deixá-la sentir o que você sente. E houve muitas, muitas, muitas performances poderosas este ano que fizeram exatamente isso. Um trabalho de tirar o fôlego, compassivo. Mas houve uma performance este ano que me atordoou. Entrou como um gancho no meu coração. Não porque foi boa. Não havia nada de bom naquilo. Mas foi eficaz e cumpriu o seu objetivo. Ele fez seu público rir e mostrar os dentes. Foi nesse momento que a pessoa que pediu para sentar no assento mais respeitado em nosso país zombou de um repórter incapacitado. Alguém que ele superava em privilégio, poder e capacidade de lutar. Isso quebrou meu coração. Eu ainda não consigo tirar isso da cabeça porque não estava em um filme. Era a vida real. E esse instinto de humilhar quando é feito por alguém na plataforma pública, por alguém poderoso, influencia a vida de todos, porque dá permissão para outras pessoas fazerem a mesma coisa. Desrespeito gera desrespeito. A violência gera violência. E quando os poderosos usam sua posição para intimidar os outros, todos nós perdemos.

 

Confira a lista dos ganhadores:

Melhor drama

Moonlight (ganhadora)

Melhor comédia ou musical

La la land: Cantando estações (ganhadora)

Melhor diretor

Damien Chazelle, La la land: Cantando estações (ganhador)

Melhor ator em comédia ou musical

Ryan Gosling, La la land: Cantando estações (ganhador)

Melhor ator em drama

Casey Affleck, Manchester à beira-mar (ganhador)

Melhor atriz em comédia ou musical

Emma Stone, La la land: Cantando estações (ganhadora)

Melhor atriz em drama

Isabelle Huppert, Elle (ganhadora)

Melhor ator coadjuvante

Aaron Taylor Jonhson, Animais noturnos (ganhador)

Melhor atriz coadjuvante

Viola Davis, Fences (ganhadora)

Melhor trilha sonora

La la land: Cantando estações (ganhadora)

Melhor roteiro

Damien Chazelle, La la land: Cantando estações (ganhador)

Melhor filme em língua estrangeira

Elle, de Paul Verhoeven (ganhadora)

Televisão

Melhor ator em filme para TV ou minissérie

Tom Hiddleston, The night manager (ganhador)

Melhor atriz em filme para TV ou minissérie

Sarah Paulson, The people v. O.J. Simpson: American crime story (ganhadora)

Melhor atriz coadjuvante em TV

Olivia Colman, The night manager (ganhadora)

Melhor ator coadjuvante em TV

Hugh Laurie, The night manager (ganhador)

Melhor filme para TV ou minissérie

The people v. O.J. Simpson: American crime story (ganhadora)

Melhor atriz em série de comédia ou musical

Tracee Ellis Ross, Black-ish (ganhadora)

Melhor série de comédia

Atlanta (ganhadora)

Melhor ator em série de comédia ou musical

Donald Glover, Atlanta (ganhador)

Melhor atriz em série de drama

Claire Foy, The Crown (ganhadora)

Melhor ator em série de drama

Billy Bob Thornton, Goliath (ganhador)

Melhor série de drama

The Crown, Netflix (ganhadora)