Brasileira ganha Miss Trans Star Internacional

Brasileira ganha Miss Trans Star Internacional

nova Miss Trans Star Internacional
nova Miss Trans Star Internacional

A paulistana Rafaela Manfrini, 30 anos, derrotou a favorita israelense Tallin Abu Hama e é a mais nova Miss Trans Star Internacional.  Agora, ela pretende usar sua recente fama justamente para combater o preconceito, não só a sua classe, mas a todas as minorias.

Desde que o levantamento da ONG começou ao redor do mundo, em 2008, o Brasil registrou 845 assassinatos de travestis e transexuais e a região a qual pertence na pesquisa, que engloba América do Sul e América Central, é responsável por 78% dos incidentes em todo o planeta. Segundo dados da ONG Transgender Europe, o Brasil é o país que mais mata transexuais e travestis no mundo.

“Os números refletem bem a triste realidade do País e já está mais do que na hora do mundo todo realizar que qualquer forma de preconceito ou discriminação não é apenas uma atitude lamentável, mas uma efetiva fomentação a atividades criminosas”, explica Rafaela, que venceu a final com 29 outras concorrentes de 25 países diferentes.

De volta ao Brasil no início de outubro, ela pretende usar o título de Miss Mundo para justamente endereçar discussões sobre o tema: “Meu desafio é mostrar para a sociedade hétero que o transexual não é uma aberração, é uma pessoa normal, que tem o direto ao respeito que qualquer ser humano merece. Vou me manter à disposição para participar de toda e qualquer iniciativa em prol dessa bandeira, sempre de maneira filantrópica”, finaliza.