Esporte será tema da 19ª Parada do Orgulho LGBTS de Brasília

Esporte será tema da 19ª Parada do Orgulho LGBTS de Brasília

Pela primeira vez no Brasil, o respeito a LGBT no esporte vai ser foco de uma marcha arco-íris. A 19ª Parada do Orgulho LGBTS de Brasília, que será realizada em 26 de junho, vai empunhar como tema “Respeito é ouro”. A proposta da Associação da Parada do Orgulho LGBTS de Brasília é colocar em debate o respeito a LGBT atletas e a convivência plural nas torcidas, principalmente no futebol.

bicicleta-19ª-Parada-do-Orgulho-LGBTS-de-Brasília
Foto: Divulgação

A marcha começará às 14h em frente o Congresso Nacional e seguirá pela Esplanada dos Ministérios até a Torre de TV. Na semana anterior, serão promovidas diversos eventos tais como atividades esportivas, festas, debate e ações culturais. O Instituto Sabin é o patrocinador master do evento.  A marcha brasiliense, a terceira mais antiga do país, também fará homenagens a atletas LGBT assumidos. Para a entidade, o exemplo que os desportistas dão contribui para a quebra do preconceito e para que mais LGBT não deixem que seus sonhos de seguir no esporte sejam impedidos pela discriminação.  A arte da parada, que mostra a diversidade na prática esportiva, foi feita pelo artista Vinícius Ribeiro com inspiração em obra de Roberto Muniz Dias, radicado no Distrito Federal.

Parada LGBT de São Paulo terá como tema lei da identidade de gênero

Axel Miami – Banner

A escolha do esporte como foco do evento teve como principal motivação os Jogos Rio 2016, que farão competições na capital do Brasil. A organização ativista quer aproveitar o momento para mostrar que a cidadania LGBT também deve ser garantida no mundo esportivo.   O assunto tem conquistado cada vez mais visibilidade. Recentemente, a Federação Internacional do Futebol (Fifa) puniu seleções cujas torcidas proferiram xingamentos homofóbicos em partidas. No início do ano, o Comitê Olímpico Internacional fez recomendação inédita aos países para que transexuais compitam de acordo com o gênero social e não biológico. Os jogos no Brasil serão os primeiros da história a aplicar tal possibilidade.

14a Parada Gay da Bahia acontece domingo