Em Tel-Aviv, 150 mil vão às ruas  na única parada gay do Oriente Médio

Em Tel-Aviv, 150 mil vão às ruas na única parada gay do Oriente Médio

Liberdade é o bem mais precioso que um povo pode possuir. Durante a parada gay de Tel-Aviv, Israel, milhares de pessoas foram às ruas na última sexta-feira (12/06) para comemorar a diversidade e todas as possibilidades de amor. Gays e lésbicas de toda Europa, Ásia, Oceania e Américas marcaram presença. Um festival de gente bonita.
A semana do Orgulho Gay de Tel-Aviv contou com intensa agenda de atividades que incluiu uma enlouquecedora pool party, no Water Park, lotada de homens lindos com corpos esculturais; shows no estádio local e badalação na Hilton Beach, a praia gay.
Enquanto para muitos tudo era comemoração, para outros representou o momento para denunciar a opressão contra homossexuais na Rússia. Cidadãos daquele país, com cartazes, pediam o fim da perseguição aos gays pelo governo russo.
Mães caminhavam de mãos dadas em apoio aos filhos gays. Uma delas trazia no cartaz escrito em hebraico: “Meu filho é viado. E daí?”
Israel é um dos países mais liberais do mundo. Casais gays podem adotar filhos ou tê-los por meio de barriga de aluguel. Dezenas de famílias homoparentais marcaram presença na festa.
Assim é a diversidade num dos países mais solidários do mundo. Onde a liberdade e qualidade de vida não são apenas palavras de dicionário. É sim, algo de fato e constante. Talvez, por isso, Israel seja tão invejado. Liberdade não tem preço.

(O jornalista Irineu Ramos viajou a convite do Ministério de Turismo de Israel)
Concentração da Parada