Pets precisam de escovação dos dentes

Aproximadamente 85% dos cães e gatos apresentam alguma doença periodontal
Aproximadamente 85% dos cães e gatos apresentam alguma doença periodontal

O hábito de escovar os dentes de manhã ao acordar, durante o dia após as refeições e a noite antes de dormir faz parte da rotina humana. As pessoas são submetidas a este hábito desde criança, mesmo contrariadas. Com os pets não é diferente. Eles também precisam ter dentes escovados, mesmo que com menor frequência.
Isabella Vincoletto, veterinária da Vetnil, empresa que atua há 20 anos na área de saúde animal, afirma que os pets devem passar pela escovação de duas a três vezes por semana. Os problemas de saúde oral têm sido cada vez mais frequentes no atendimento clínico e números indicam que aproximadamente 85% dos cães e gatos apresentam alguma doença periodontal. “Muitos desconhecem que problemas bucais podem prejudicar a saúde do animal como um todo, já que as bactérias podem chegar à corrente sanguínea, afetando assim outros órgãos”, diz.
Entre as doenças bucais mais comuns está à gengivite, que consiste na inflamação das gengivas, tendo como sintomas a vermelhidão no local, aumento do seu volume e sangramento quando tocado ou escovado. Outra enfermidade comum é a periodontite, inflamação mais profunda da gengiva, com perda do suporte dos dentes, acarretando até a perda dental. O ideal é tentar acostumar os pets desde filhotes, sempre associando esse momento com algo prazeroso, como brincadeiras, passeios, carinhos ou ao que se assemelhe a um prêmio. Para introduzir o hábito, deve-se passar o dedo indicador pela gengiva do animal.
Para os filhotes este processo é de fácil adaptação e o tutor pode passar a utilizar gaze, dedeira ou escova dental própria para os animais, mantendo a rotina durante toda a fase adulta. Já para os em fase adulta, que nunca foram condicionados a escovação, é necessária muita paciência, pois a manipulação da boca é algo novo para cães e gatos.
A veterinária sugere que durante a primeira semana devem ser feitas sessões breves (dois minutos) tentando passar apenas o dedo na gengiva do animal, lembrando sempre da recompensa ao retorno positivo do estímulo. Depois deve-se enrolar uma gaze no dedo para o pet acostumar com uma textura diferente encostando-se à boca, repetindo o processo duas vezes por semana. Caso tenha se acostumado com a gaze o tutor poderá substituí-la por dedeira ou escova.
“Escove sempre de maneira gentil, fazendo movimentos circulares lentos e sem fazer força contra a gengiva do pet. É importante procurar locais calmos, sem distrações e em horários tranquilos para o animal e para o seu tutor”, diz a especialista. Isabella lembra ainda que as escovações também podem ser feitas em estabelecimentos especializados, caso os tutores não tenham aptidão ou tempo para realizar a tarefa.